Google

Dr. Marcelo Vasconcelos: Naturalista do Século 21

por

 

 

 

 

“Eu achava que um biólogo, para ser valorizado, era aquele que realmente conhecia o mato, conhecia os bichos, conhecia as plantas, relações entre fauna e flora, flora e solo, montanhas, vertentes, e tudo o mais…”

Marcelo Vasconcelos

 

Resumo: Nesta entrevista imperdível, o naturalista Marcelo Ferreira de Vasconcelos fala sobre a necessidade de se fazer Ciência como os grandes naturalistas do passado, e sobre como a prática da História Natural no âmbito científico está ameaçada neste século… 

 

Leia também: The Naturalists Are Dying off, de F.C. Evans.

 

 

 

33 Comments to Dr. Marcelo Vasconcelos: Naturalista do Século 21

Deixe seu comentário aqui

  1. Fantástica a entrevista. São conselhos como esses que deveriam ser ditos em sala de aula. Muito obrigado pelas palavras Marcelo. Vamos lutar para que os naturalistas e suas formas de trabalhar não virem somente histórias.

  2. Excelente entrevista do Marcelo!
    Me faz pensar no quanto a prática da conservação da natureza é um trabalho coletivo, de cientistas, educadores, ongueiros, tomadores de decisão, ativistas, artistas, consumidores, etc.
    E dentro da ciência, somos de diversas vertentes — todas necessárias, embora algumas mais celebradas que outras. Não podemos prescindir de nenhuma delas.
    .

  3. Daniel Almeida Rocha

    Parabéns Lucas, parabéns Marcelo!

    Entrevista muito interessante e digna de comentário…

    Eu tenho me questionado, desde que iniciei minha formação acadêmica como Biólogo, se gostaria de me especializar em alguma área, espécie ou até mesmo na parte de um indivíduo…

    Conheci a palavra “Transdisciplinariedade” e, mesmo tão grande e assustadora, identifiquei-me com ela, já que, como M. Vasconcelos comentou, tudo está interligado e é, definitivamente, inseparável!

    Valorizo muito as especializações, que nos trouxeram inúmeros conhecimentos importantes, mas prezo e idealizo a integração dos conhecimentos… Trabalhemos juntos!
    Naturalistas, Biólogos, Geógrafos, Engenheiros, Sociólogos, Antropólogos, Políticos… Todos detemos conhecimentos relevantes que, unidos, sustentavelmente nos manterão mais tempo presentes na Terra.

    Utopismos sim, mas de que vale só os ideais se não compartilhados e, quem sabe, alcançados…

    Forte abraço

  4. Arlindo rodrigues gomes

    Excelente trabalho nesta entrevista com o Marcelo.
    Parabéns e todo sucesso neste novo ano.
    O planeta agradece a profissionais como vocês.

  5. Parabéns à você Lucas, a Bocaina e ao Marcelo.
    Tive a felicidade de ter tido o Marcelo como professor na graduação em Ciências Biológicas e esse tema proposto a entrevista é o que ele sempre disse em sala de aula. Infelizmente os naturalistas têm realmente morrido. Os trabalhos enfatizando ao naturalismo penam para conseguir incentivos financeiros. Nem mesmo o incentivo para o faça você mesmo é percebido mais na academia.
    Infelizmente, esse trabalho de naturalismo – limitado – tem ocorrido, quase que somente quando uma empresa precisa contratar um consultor ambiental que fará um levantamento da fauna e flora local e, possivelmente, fará coleta de espécimes e o deposito em museus de história natural. E essa consultoria ambiental só ocorre em áreas onde haverá supressão da flora, alagamento ou virar um buraco de mineradora.
    No mais é isso ‘S minino, sigamos da forma que consigamos.

    Abraço,

    Allan Suhett de Morais

  6. Santos D'Angelo Neto

    Excelente entrevista. Concordo com tudo o que foi dito nela e me considero privilegiado de ter tido muitas saídas ao mato na companhia deste grande amigo e naturalista que é o Marcelo. Parabéns a Bocaina por esta entrevista. Abraço, Santos D’Angelo Neto

  7. excelente! Parabéns a todos os envolvidos. Sou graduanda em Biologia na UFES e há muito me sinto perdida nessa ciência moderna, e através desse vídeo já me sinto mais motivada e esperançosa numa revolução necessária. :)

  8. Marcelo,
    Você é o melhor biólogo naturalista que existe porque você faz o seu trabalho com o corpo e a alma. Além do gosto pela profissão, você tem um conhecimento do assunto que muitos profissionais jamais terão.
    Parabéns pela entrevista. Você brilhou.
    Parabéns ao pessoal da Bocaina Ciências naturais & Educação Ambiental pelo trabalho.
    Beijos

  9. Willian Martins

    Parabéns, mas é triste saber que realmente temos biólogos de apartamentos, mas o alerta sobre a extinção do naturalista pode também ser válida para outras áreas como foi bem mencionado pelo Marcelo. Não preocupemos apenas com a extinção de algumas espécies mas do conhecimento da nossa área.

  10. maravilha, excelente entrevista e tema de grande relevância. Pessoalmente sou um grande admirador do amigo Salsa já há cerca de vinte anos e me sinto um privilegiado em poder acompanhar sua trajetória. Parabéns Marcelo, você consegue, a duras penas, com certeza, fazer um trabalho zeloso e coerente com aquilo que acredita e defende. Espero que muitos se espelhem em você e o naturalista renasça entre os biólogos. Parabéns também ao pessoal da Bocaina pela escolha do tema e do entrevistado… ficou ótimo. abraços

  11. Higor Rodrigues

    Excelente entrevista! Sempre escutei falar do professor Marcelo Vasconcelos, porém, nunca tive a oportunidade de assisti-lo em alguma palestra, nem tão pouco conversar pessoalmente com ele. A partir dessa iniciativa de postagem de vídeos contendo entrevistas com pesquisadores, que por sinal é muito válida, tive essa oportunidade! Parabéns!

  12. Parabenizo o Marcelo pela sua visão de verdadeiro cientista e por sua competência que nos alegra. Em qualquer profissão, o profissional completo deve ter, antes de tudo, uma visão sitemática.
    Renato Jardim

  13. Alessandro Abreu Fávero

    Foi um privilégio em ter acesso a esta entrevista.

    Referente ao relato do naturalista X pesquisador pontual, demonstra que a formação acadêmica dos profissionais das áreas ambientais, no contexto atual, é subsidiado por conhecimentos fragmentados e pontuais. E demonstra dificuldade de um pesquisador com perfil holístico no mundo acadêmico.

    No entanto, cabe destacar, que atualmente devido a necessidades de conhecimentos muito aprofundados a necessidade de estudos pontuais, contudo, devido a complexidade de fenômenos biológicos e ecológicos, subsidiados pela ordenação de dados e correlações estatísticas, abrindo mais outro leque de conhecimentos.

    Assim não vejo problemas entre concepções entre reducionista e holístico, mas sim a problemática dos cientistas não saberem atuarem de forma coletiva, cada um compartilhando e fundindo os seus nichos de conhecimentos.

    E referente aos biólogos de apartamentos, destaco a necessidade destes profissionais, os contribuem com conhecimento metafisico dando amparo aos estudos de campo.

    Assim, finalizo que devemos atuar de forma reducionista para podermos entendermos as propriedades emergentes do todo – a natureza, e para isso, devemos aprender a pesquisar de forma coletiva.

  14. Gostei muito da entrevista…São ideias que eu também compartilho e acho muito importante discutirmos este assunto e mostrarmos que ainda existe este ponto de vista para os biólogos e futuros biólogos… para que a história natural não morra…e o contato do cientista com o meio natural não se perca.

  15. Rodrigo Barata

    Parabéns Perillo e Marcelo pela entrevista! Trataram muito bem do assunto.

    Saiu um comentário sobre esse tema na Nature recentemente intitulado “Natural Decline” (Volume 508, 3 de abril de 2014, páginas 7 e 8), vale à pena.

  16. Oi, achei este vídeo do naturalista Marcelo Vasconcelos riquíssimo para quem estuda e procurar ser um naturalista de verdade.
    Parabéns a toda equipe.

  17. Lênim Faber Lopes

    Parabéns Marcelo !! É muito bom saber que existem outros com óticas semelhantes às nossas e apoiando a multidisciplinaridade na natureza que é necessária à uma conservação verdadeira e concisa sem as “vistas grossas” e pesquisas alienantes que vemos por aí .
    Também pratico o Naturalismo desde a infância e isso é coisa que nasce com agente, porém nunca é tarde para começar neste caminho .
    Excelente introdução histórica e a entrevista diz todo o espírito dessa filosofia epistemológica que é o Naturalismo .