Tema 3 - Pesquisa e Gestão dos Recursos Hídricos

  • Projetos Ecológicos de Longa Duração - PELD


    O PELD surgiu no Brasil em 1999. Atualmente conta com 30 sítios de atuação em todo o Brasil. Esse tipo de projeto permitiu uma mudança significativa na ecologia brasileira pois, a partir dele, conseguimos fazer perguntas que necessitavam de um longo prazo para termos as repostas. Além disso, é um programa que também incentivou a pesquisa em redes, ou seja, com a colaboração de diversos Institutos e profissionais. Por ter uma longa duração, o PELD possibilita uma interação socioambiental com as comunidades residentes do entorno, estabelecendo relações de maior confiança! Aqui vamos apresentar o PELD do Parque Estadual do Rio Doce, um parque em Minas Gerais que abriga o maior fragmento de Mata Atlântica do Estado, além de diversos sistemas lacustres. Você vai ver como realmente faz a diferença quando temos tempo para realizar nossas pesquisas.
    E você, sabe se existe algum PELD na sua região?

  • A divulgação científica na gestão dos recursos hídricos!
    Em 2016, uma equipe interdisciplinar, dos Cursos de Ciências Biológica e Pedagogia, do Centro Universitário do Leste de Minas foram selecionadas pelo EDITAL ANA-CAPES/DEB Nº 18/015. Esse edital foi um Programa de Apoio à Produção de Material Didático para a Educação Básica, cujo tema seria “Água”. Nesse sentindo, foi criado o projeto “Águas de Minas” (fazendo referência a Bacia do Rio Doce), onde foi produzido um curta-metragem (que você pode assistir aqui), um livro em formato de história em quadrinhos, um cartum, um game denominado “Modelo de Cidade Ecológica” e criação de jogos didáticos.
    Acreditamos e sempre vamos defender que a divulgação científica deve ser prioritária na conservação. E você, já pensou como pode fazer uma boa divulgação do seu trabalho?
    Agradecemos o Prof. Marcos Vinícius Rodrigues pela colaboração nessa discussão, liberando esse ótimo trabalho que realizou com sua equipe! Vamos fazer juntos essa rede online de colaboradores. Participe também.
  • A dinâmica do carbono nas águas amazônicas
    Recentemente, a Bocaina disponibilizou em seu Blog, uma ótima entrevista com o biólogo João Henrique. Ele realiza seu doutorado no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia-INPA, e na última década, vem dedicando seus trabalhos para compreender melhor como a bacia do Amazonas influencia naturalmente no estoque de carbono do mundo! Uma pesquisa fundamental para entendermos alguns aspectos de mudanças climáticas.
    Se você gosta de conservação não deixe de acompanhar várias entrevistas que estão no Blog da Bocaina.
  • Como pensar em conservação de Bacias Hidrográficas?O Prof. Francisco Barbosa (UFMG), que também é o coordenador do PELD-Rio Doce, fala sobre os trabalhos realizados para compreender os ecossistemas aquáticos. Ele diz que uma grande dificuldade para termos ações mais efetivas na conservação e recuperação de bacias é a análise, quase sempre, fragmentada do ambiente. Ele cita o caso da Bacia do Rio Doce, que em 2015 teve seu pior impacto direto com o rompimento de uma barragem de mineração, e relata alguns projetos que poderiam mitigar os impactos ambientais, assim como provocar uma nova perspectiva de conservação sobre as bacias hidrográficas o Brasil. 
    E você, conhece algum projeto que trabalha com revitalização de bacias? Na sua opinião, frente ao maior impacto ambiental do país, quais fatores não podem ficar de fora nas análises de planos para mitigação e recuperação de toda a Bacia do Rio Doce? 
  • Ecossistemas tropicais e sua relação com a águaVeja a excelente conversa que fizemos com o Prof. Rafael Oliveira da Unicamp! Nesse bate-papo, falamos sobre adaptações das plantas a diferentes estresses ambientais e como os ecossistemas tropicais se relacionam ao ciclo da água e às mudanças globais.
Contribua para gerarmos diretrizes da conservação. Deixe um comentário!